Porcina, Sinhozinho e Tânia: a filha não concordava com o amor entre o pai e a "viúva" de Roque.

Há exatos 25 anos, ia ao ar o primeiro capítulo de “Roque Santeiro”, novela de Dias Gomes, escrita juntamente com Aguinaldo Silva. Era 24 de junho de 1985 quando a novela, vetada pela censura em 1975, voltava às telas da Globo em uma nova versão.

Com um elenco de primeira, a novela mexeu com o país e lançou personagens marcantes da dramaturgia, como Sinhozinho Malta (Lima Duarte), Viúva Porcina (Regina Duarte), Zé das Medalhas (Armando Bógus), Professor Astromar (Ruy Resende) e Beato Salu (Nelson Dantas).

Lídia Brondi aparecia nos créditos como “atriz convidada”. Sua personagem, Tânia Malta, uma das mais marcantes de sua carreira, era a herdeira do império de Sinhozinho Malta. Tânia batia de frente com a postura de “coronel” do seu pai e era contra seu romance com Viúva Porcina.

Além do drama de desconhecer a verdade sobre a morte de sua mãe, interpretada por Lílian Lemmertz em uma participação especial, Tânia viveu um romance proibido com o Padre Albano (Cláudio Cavalcanti). Diante da pressão da Igreja Católica contra o amor entre os personagens da novela, Tânia teve um final infeliz, sem o seu amado.

Para relembrar, duas cenas de Lídia Brondi em “Roque Santeiro”:

1. Tânia fala para sua avó, Dona Marcelina (Wanda Kosmos), sobre seus sentimentos em relação ao Padre Albano. (a partir de 2’43”):

2. Em outra cena com sua avó, Tânia fala de sua desconfiança sobre Roque (José Wilker). Depois revela a Terêncio (Waldir Sant’anna), diante de Sinhozinho, que Dondinha está grávida.



Related news

Meridiano zero ltd accommodations
Arqueiro verde online 3 temporada de bron
Rf frequency doubler circuits
Docteure irma critique article
Investir metaux strategique
Musique chretienne ivoirienne 2019 jeep
Hector mosqueira restaurant
Faire du sport c'est physique et chimique streaming
Frequent flyer number fly emirates online